30.6.10

Eu não sou um fantoche.

Onde está a minha atenção?

Há como medir o tamanho da importância que se possui?
Acho que não, até porque, toda verdade é meio mentirosa, não é?

Porque perdemos a crença nos filmes?
Como manter a calma quando lhe falta paz?
Por que é tão difícil estar no tempo dos outros?


Será que ainda vale a pena sentir saudade?
Será que ainda vale a pena esquecer onde eu pus o meu destino?
Será que ainda vale a pena esmagar o meu coração e esquecer de mim novamente?
Será que ainda dá tempo de dormir e não acordar mais?

Estou indo embora, mais uma vez aprendendo do jeito mais difícil: Renunciando.
Deus me livre, eu não sou um fantoche.
Eu sei o que é ser Ser Humano.
Postar um comentário