17.6.11

Segmento de ponta a ponta.

Quero respirar o aroma do vinho.
No frio, na calada da noite, a garrafa, a lembrança.
Se houver papel sem desejo não haverá brasa, nem fumaça,
pois assombrado é o que não entende e malévolo o que olha de lado, de canto.

Posso tratar-te com todo o meu amor. Cada pedacinho, como um doce.
Sentir a ti como se todos os sentidos me acolhessem
Sendo o que quero ser, transformar-me em sorrisos.


Tempo bem fechados e tratados.
Não reclamo de mais nada.
Sugar, às vezes tossir, ver a alma pronta.
Num segmento de ponta a ponta.
Postar um comentário