4.8.13

Foram os dias que passaram rápido!

Eu habitava no lindo amanhecer com a manhã, num gosto de manga fresca na boca. Coisa boa era a delícia do mar na infância que eu sequer ousaria blasfemar.
Eu quero o aZul intrigante! 
Todos os dias azuis intrigantes! Azuis! Intrigantes e eternos azuis!
Eu vo-lho amar azul! Azul! Azul! 

Que putaria! Rima!
Cu, da bosta que molda para a tinta azul o vermelho desejo do roxo:  O roxo, o gozo!
Deus e a sua maravilhosa e poderosa inércia, a maquina humana mais rápida que a sua própria maquina!
Nós pensamos tanto que sentimentos como saudade tem sido minimizados com abundância das modalidades comunicativas e dos exercícios humanos tradicionais. Um simples aparelho telefônico põe mudar a história de qualquer pessoa sobre a aptidões e dons finalmente hábeis à execução. As drogas foram inventadas, a maquina foi inventada, o DNA é comercializado e Marte, que não habita homenzinhos verdes e de antenas, nos faz crer na possibilidade de habitar um lugar, mas eu amo tanto a terra! 
Se nós humanos fossemos menos irresponsáveis, teríamos recusado a proposta capitalista, mas ela continua ironicamente boa. . Só que não!
Deus, mate a maldade, mas não mate o orgasmo!
Postar um comentário