14.7.09

Eu esqueci de chorar

Sonhei diversas vezes
Que eu pude te ter entre os dedos
E entre todas as almas
Era a sua que eu desejava

Não garanti o seu sorriso
Mas, sim, a sua palavra
O nosso violão, a poesia
E o costume sombrio do ego.

Sabe, é incrível ser feliz
Como um vírus vem e vai
Volta, estremece, mas vai
E não volta mais. Não.

Eu esqueci de chorar.

O meu corpo enfraquecido chorou
Meus ossos e olhos ardiam
E, em brasas, enxergavam a sua face
À espera de um suspiro.

Um beijo seria suficiente
Eu quero sensações e coerentes,
Certezas, sim. Limites, não.
Você e eu. Um só.
Postar um comentário