28.2.11

Viajar.

Há de ser ruim, caso não exista.
Há de conter bondade na pergunta incômoda.
Os pelos que envelhecem sob a pele
Denunciam a sombra flácida de meu semblante.

Bebera água da encosta
Purificar a alma na subida de ladeira
Soltando as fumaça da cidade
Remoendo a paz que é estar na origem de tudo.

As árvores
que hão de bocejar com seus galhos e folhas cheirando a chuva,
Esforçam-se para limpar o ar.
Sufocam-se com as vacas e os homens, morrerão.

Há de Tocar fogo no céu, um laser no abismo.
Transformar a água salgada em doce.
Poluir,comprar e Bom ar.
Viajar. Viajar. Viajar.
Postar um comentário