30.5.11

Animal faminto de mim.

Uma viagem
Eu quero.
muitas vezes

Eu quero tudo.

Pode por aqui,
nesses lábios molhados
sedentos por pecado.
Sedentos por lambuza.

São lábios de gosto,
Entrega.
Ato Simulado como beijo,
abocanhado como a manga.

Não quero largar,
não quero sair daqui,
o futuro é agora:
A efeito da testa  em gemidos.

Viverei mais um pouco
não Vou perder essa por nada.
Por que eu quero todos os dias
Esfregar-me nesses lábios

é Como o .que fazemos com a manga.
Lambuza.
É como o que fazemos com a melancia.
Sem garfo nem faca, de boca.

Deliciar-me
soltar um leve sopro gelado

                    O animal faminto de mim.
o a-
nimal faminto de
mim.
Postar um comentário