3.6.11

Até - Parte I

Possuímos sonhos e fraquezas oriundas de pesadelos. "Benditos" são os que vivem sem  sombra de serem pegos em surpresa e odeiam o perigo.
(risos)
Não acredito que eu morra no impossível, apenas sei que atitudes levam ao respeito e ao julgamento da contextualidade onde a sua felicidade está inserida. Onde ela está? Em sua cama? Na casa que não é sua? No lençol que, de seu, só há o cheiro?
Condenaria o humano que não sentiu mais de um amor fatal na vida. Aquele amor que pode derrubar, parar o ar que corre nos pulmões, que pode elevar o máximo do seu interior orgasmático( mais de uma vez), que pode brincar e chorar de ciúmes. Condenaria.
Sobreviveria a qualquer atentado, visível ou disfarçado, mas agraciaria o meu desejo aos girassóis. Do mais bonito retiraria as sementes que me fariam ter mais girassóis, para que em outras mãos permitam-se nascer também girassóis.
Sem preocupar-me com o quão louco eu esteja, sóbrio ou embriagado e em busca de minha alma, uivaria 1 milhão de vezes bem alto sentindo o cheiro do sexo em minha narinas e ogosto do desejo, do gozo em minha língua. 
Minha língua em um mundo, minha maior delícia.
Eu poderia percorrer o trajeto até aquela rua, que incita o pecado, que sussurra a mim o delírio de viver sem medo. TUDO. Sem medo. Mas deixa o medo lá quieto no canto dele, senão ele chega. Ele vem me atormentar (filho da puta).

- Deixe-me em paz, medo. Eu já sei. Quero me apresentar à vida. Apresentar-me ao calor do som. Qualquer som. Até a morte. Não te  tenho, medo, por recear o que ouvir, mas por recear como falar. Há em mim o direito de provocar dor? Não. Então chama a vergonha pra cá, porque eu estou sem. Traz um fino também, vou precisar.

Pronto. Agora formigarei e direi palavras de gratidão para aliviar a dor e a frustração, mas soltarei a separação do meu antigo desejo, pois o novo se faz presente. E eu quero.

Decidi pisar o ar de modo mais firme.
Sentir o chão é saber se o que piso é terra firme. Eu quero é flutuar.

Chegarei mais rápido do que possa imaginar e estarei ao lado do girassol.
Obrigado por seu amor. Ele é lindo. E eu também.

Até.

Postar um comentário