1.7.11

Divinas alterações

Mente sofrendo divinas alterações
Como o pardal e a caça
Um mísero grão de pão e confusões
Pessoas gentis e carnais variações

Há viagem na tranquilidade
de Bocejar e não dormir
Relaxar, apenas. Idade.
Não quero sair.

Possua-me com carinho
Afague e more
Medie e embebeda-se um poquinho
Enumere e torne-se o ar.


Sou escravo de um dengo
de leoa que arranha e abocanha
Que surpreende e escrevo
"Cheia mel, linda manhã".

Madrugada e pulsar.
Escrituras e pureza.
Fumaça e ar.
Forma-te, Clareza.

 8*****88***********88*8**********8*88***********88*****8

Vem  ar.
Traz o vento.
Alento.
Mar, não. Pá.
Postar um comentário