30.9.11

Tanto querer

Há tanto querer impedido por  lendas de argumentos intangíveis que mais loucos tornam-se o caos e o enérgico pudor.

A criação tem sido improdutiva, mas é por falta de essência e não de ego.
Ninguém se contenta com o próprio olhar, aliás ninguém sabe reconhecer o próprio olhar.
Dispara-se sobre futuros na forma de constelações e nuvens sem forma alguma e isso é lindo.
Mas não há pecado em querer, ainda bem.


***

Perdoe-me por achar gostoso penar por fé
o rótulo de tocar em algo que não se vê.
Cada passo dado é uma ferida
inflamada, cicatrizada.

Perdoe-me por ser leve
Por gozar de tanto pensar no futuro.
Perdoe-me por ser assim:
Tudo demais, até no jeito de ser duro.

Perdoe-me por querer
Por querer o que eu quero.

Me queira, porque eu te quero.

T_A
Postar um comentário