8.11.12

A revelia

 
(para os leigos, essa música é de CAZUZA, viu?)
Mordaças são ferramentas desnecessárias para o silêncio.
Já não é mais necessário estar a revelia da sorte, pois despir-se ainda é magnífico, um lugar à doçura , distante das pétalas secas, mortas e sem perfume.
Mitos iludem.
Não dá pra confiar na prematuridade que tantos, sem perceberem, acreditam ter sobre o mistério de fazer-se Ser na expectativa por alguém, ou incorporar-se nesse papel de Ser a expectativa de alguém para um fim incerto. Hoje sempre incerto. Poupe-se (que teimosia...).
Muito mais vale ser a cura de algumas pequenas feridas que apresentar-se como mediador entre a alegria e a esperança. Nem tudo é tão caro o quanto parece.
Proteger seus segredos e não trair a si é primordial, assim reflete um suspirar aliviado também de/sobre/para/por si.
Proteja-se e quanto ao outro?
... Não queira estar só.
"Solidão, que nada.."
Postar um comentário