14.5.11

Fantasiagem

Rosas sob o lençol branco
Luz Baixa e calor
Arrepios, arrepios.

O toque da ponta dos dedos
O portal se abriu e pude ver
Como estávamos nus
Como estávamos lindos.

Eu não saberia lembrar, mas eu sei.
Loucura e tesão.
Um perfume ainda aqui.
Em minhas narinas angustiadas.

Retornei, cochilei e aqui estou.
Numa folha de papel,
Justo quando tudo ainda não está perfeito, mas vai ficar.

***

- Abram-se os portões e descei a ponte. A príncipe está vindo. E em seu cavalo há uma linda dama.

O povo se alegra e logoo se aglomera com seus tambores, instrumentos de corda e sopro para saudar àquele que era como eles, porém poderoso.
Música, muita música neste dia. Como tudo havia mudado. A experiência trouxe de volta um antigo e coerente discurso de romper os olhos em águas salgadas, envoltos de brilho por poesia, música e liberdde. Tudo um só. Agora todos entendiam.

***

Acalma-te e espera. Tudo acontece.
Postar um comentário