31.1.13

...Apenas eu...

 
"Bem, a saudade é tão quanto o vento a traz, assim encantam-me as histórias não contempladas pelo tempo que as trouxe. Um ponto de obsessão do próprio tempo. Posse.

Não há treinamento para a paixão. Esta não cabe sequer o que a valha.
 
Prefiro perder a alma alimentado-me de outra paixão a escravizar-me na constante loucura sobre o ocidental amor.
 
Felicidade e apego tem a mesma frenquência e possuí-los não é crime. Rotularam-nos a conquista.
 
Parafraseando, ainda que eu fale a língua dos homens, sem amor, eu seria apenas eu.
 
Cartas à mesa. Desisto, só a paixão pode sabe jogar bem."
 
p.s: | The love is free to anyone, the way you are
Postar um comentário