28.1.13

...Santa Maria...


Um acaso insolente.
Um transtorno da transmissão da dor. Da cancerígena dor.
A poesia dever ser reescrita, pois ouvem-se as vozes, os gritos, as saudades, sentem-se as lágrimas enegrecidas pela fumaça que, frente à morte vestida de cinza, nas linhas do medo, impediu ao amor a sua entrada.
Não voltar para casa e não sentir o cheiro do amor.
Os homens que não choravam agora sentem suas entranhas contraindo-se de letárgica perplexidade.
 
Eu, jovem,
perseguido pelo horror
dos anciãos sem sabedoria,
ando sem saber se há justiça
para os que só precisam de um pouco de amor
à vida, ao outro, ao próprio amor.
Eu, triste, não consegui conter as minhas lágrimas, pois,
ainda jovem,
aprendi sobre o lar.
Este causa muita saudade.
 
Postar um comentário