24.4.13

Levem pro verão.

Que chuva maravilhosa caindo nas telhas das casas da Princesa do Sertão, suave à terra no regar com alívio.

O feirense gosta do outono assim, com dias chuvosos, de vê-lo cumprir o seu papel no ciclo das estações com essa chuva, de sentir esse clima, a reflexão.

"Ah, vida! A responsável por tudo isso. O feirense sabe disso.

São dias de cura para pessoas de alma ferida, em desesperança por tanta falsa liberdade, vitimadas por violência e torpor de outros homens e mulheres cabisbaixos, alucinados por trabalho e lascívia, urina e cansaço.

Somos afastados do descanço dos dias de sol escaldante. Somo motivados a cansar. A mover-nos. A mover-nos. A mover-nos. A mover-nos. A mover-nos. A não lidar com ausência do sol e a contemplação da chuva, da vida querendo renascer.

"- O verão durou bastante tempo dessa vez, permita-me o descanso." - suplicou.

O foco é desenvolvimento urbano, por isso nos foram tiradas as poucas árvores. Abandonamos a humi(l)dade. Seria mais fresco se tivéssemos mais árvores, não gesso.

Quem se importa com a liberdade que não irão replantar?
À liberdade verde e marrom, o símbolo da vida, eles, os do poder, dizem não.
Talvez a encontremos, a liberdade, na ilusão de um adesivo impresso, quiçá aglomerada numa bonita cabeceira de cama e, como nós, finalmente servir como casa de baratas.

Nós e as árvores, a vida querendo renascer do descanso.
Justo quando a paz se manifesta, micareta. Justo no momento em que a chuva vem para limpar/refrescar a nossa cidade urina e cansa. Na rua. Na porta de casa, urina e cansa..
- Divirta-se!

Levem a Micareta pro verão.
Postar um comentário